O Coliseu hit counter
Arena de degladiação de raciocínios
terça-feira, novembro 07, 2006
sim ou não!?!?

A confusão instalou-se (DE NOVO) nos cafés e esplanadas do país!!!
Amizades desfazem-se e criam-se apenas por um sim ou não!!
Desta vez em vez de dar a minha opinião apenas lanço o debate...

ABORTO... SIM OU SOPAS!!!

Apelo aos comentários!!!
15 Comments:
Blogger Titus Flavius said...
desculpem pelo layout do post... apenas um erro de novato!

Anonymous Edmond Dantes said...
Já estou farto de ouvir falar sobre o aborto. Farto de ouvir dizer: "Gostavas que a tua mãe te tivesse abortado?", ao que eu muito delicadamente respondo:Ó meu imbecil, achas que eu teria noção que a minha mãe me teria abortado?Tu lembraste da decoração do útero da tua mãe? Ao que acrescento:O mínimo que se pode pedir é que efectivamente o façam em condições, assim não surgem mais indivíduos como tu ó feio!!

PS- Este último comentário só se aplica em algumas conversas.

Blogger Rousseau said...
De facto, ninguém que não tivesse nascido poderia ter essa consciência...
Importante mesmo é a malta ir votar e exercer a sua liberdade, não a delegando a outros, como faz no momento da eleição, querendo livrar-se do fardo de ser livre. Desta vez, é mesmo o "zé povo" a decidir. Se entender abdicar desse fardo e da responsabilidade da escolha, como o fez há oito anos, declaro solenemente desistir de forma definitiva deste país (se é que já não desisti...)!

Blogger Erida said...
Toda a gente fala em aborto. Mas confesso que muitas vezes não chego a perceber bem os argumentos de quem está contra a despenalização.
Argumentam que o aborto é muito mau, muito feio, que estamos a retirar o direito à vida, que os portugueses não vão andar a pagar impostos para essas mulheres de segunda andarem a encher os bolsos de abortos, que as portuguesas são umas inconscientes (as do lado de lá da fronteira podem fazê-lo, serão mais sábias?), que as mulheres vão deixar o jogging para passar a fazer abortos e coisas desse género. Ouve-se de tudo.
Eu gostava que me explicassem o que é que leva alguém a crer que pode decidir o que quer que seja sobre o meu útero. As mulheres portuguesas apenas reivindicam a liberdade de poder escolher porque apesar de parecer, nós não estamos na Idade Média. É triste viver num país onde mulheres, médicos(as), enfermeiros(as) ainda são condenados por fazerem ou colaborarem num aborto. Na Irlanda e em Malta a Interrupção Voluntária da Gravidez ainda não foi despenalizada, e no entanto, só em Portugal é que os Tribunais continuam a condenar efectivamente as pessoas por este crime (e não venham dizer que a nossa Justiça é muito eficiente porque ninguém acredita).
Os padres já andaram a prometer cacique nas omilias e ouve-se dizer que se irão fretar autocarros para levar os velhinhos do Portugal profundo a votar no referendo em Janeiro.
Resta saber se os mais jovens não se vão esquecer de ir votar, da mesma maneira que se esquecem de usar preservativo ou de tomar regularmente a pilula (250 000 pilulas do dia seguinte vendidas por ano em Portugal).
É urgente a despenalização do aborto e ainda mais urgente Educação Sexual nas escolas do ensino básico.
Senão ou mudamos de país ou rezamos para que a Espanha nos invada.

Blogger Titus Flavius said...
acho este tema importantissimo para a sociedade e concordo com tudo o que foi dito aqui nos comentarios... sim!! sou meio facho mas não tanto como pensa rousseau ou pelo menos não tanto como o nero faz crer... mas no entanto acho que falamos do aborto sem referir outros aspectos sociais muito importantes tais como fazer com que o aborto não seja a unica alternativa para quem não quer ter um filho. temos que pensar tambem em melhorar e muito o nosso sistema de adopção,criar mais orfanatos ja que os existentes estão completamente sobrelotados (genero prisões brasileiras), reduzir listas de espera e a burocracia que envolve todo o processo, melhor planeamento familiar nos liceus, maquinas de preservativos nas casas de banho dos mesmos, compraticipação do estado nos preservativos (porque doi ter que pagar 10euros por uma caixa de seis)... muitos exemplos poderia dar mas acho que ja perceberam o que queria dizer... vamos dar liberdade de escolha a mulher sim... mas liberdade de escolha a todas as mulheres! mesmo aquelas que não querem abortar mas que tambem não querem ficar com os filhos...

Blogger Rousseau said...
Tal como está hoje, a situação é um exemplo perfeito da sociedade hipócrita que é este país: toda a gente conhece alguém que tenha abortado, toda a gente sabe onde ficam as clínicas clandestinas (ou, pelo menos, alguém que sabe onde elas ficam). Por que motivo não se acaba então com a coisa ? Tenham coragem de aplicar a lei e prendam 50% das mulheres deste país! Mas não; ocasionalmente, faz-se uma caça às bruxas e prende-se umas quantas pessoas...
Quando a lei não é cumprida, deixou de ter vigência, de jure e de facto, e a sua continuação só serve para a descredibilizar.

Blogger Nero said...
Antes de mais peço desculpa pela minha chegada tardia a esta discussão, mas um elemento deste blog vandalizou-me o meu automóvel.
Sem me querer alongar mt, concordo com o que tem sido dito por aqui, mas no entanto gostava de salientar alguns pontos q me parecem interessantes:
1º: É inadmissível o Governo receber pressão (directa ou indirecta) de um grupo religioso que procura alcandorar-se à sua decisão nesta questão do aborto. Já o disse e volto a sublinhá-lo: estamos num Estado Laico, quer gostem quer ñ;
2º: A confusão que se faz com "Despenalização" com "Total Liberalização". O que está em causa é a Despenalização Voluntária da Gravidez até às 10 semanas (para aqueles auto-intitulados arautos do direito à vida, o coração do feto só começa a bater a partir das 12 semanas). Pessoalmente creio q é o prazo razoável, dado q dps disso tb se torna perigoso para a própria mulher.
3º E por último (por enquanto) apenas um pequeno reparo relativo ao partido político-religioso q tem bradado aos céus (ñ q resulte mt, mas enfim) q é mt mau abortar, e q é crime por se estar a "tirar uma vida" mas q foram a favor da + recente intervenção americana do Iraque: o q será para eles mais sagrado, um feto ñ-nascido, ñ-desenvolvido, cujo coração nem sequer ainda bate, ou os milhares de crianças q têm todo o dto à vida e morreram nessa incursão militar?

P.S. - Se for aprovada uma lei a favor da despenalização do aborto em Portugal, os primeiros a perder vão ser as lojas de caramelos em Badajoz: paragem obrigatória para toda a mulher em plena actividade abortiva!

Blogger Nero said...
Apenas mais 2 reparos q por lapso me esqueci de incluir:
1º: "Glandius", a pessoa na qual estás a pensar ñ é quem pensas!
2º: Titus Flavius, bela merda de foto! Porém, e vindo de ti, achei curioso estar em espanhol...

Blogger Titus Flavius said...
a imagem não é uma merda pus foi grande demais... e só reparei que era em espanhol a seguir a ter postado!!!!

Blogger Nero said...
Isso pode ter sido um lapso freudiano... se calhar tu "no fundo, no fundo", gostavas de ser espanhol... eheheheh

Blogger Titus Flavius said...
a questão é ... no fundo no fundo somos todos espanhois/franceses/ingleses

Blogger Gladius said...
Meus caros, relativamente ao assunto em debate não tenho muito a dizer, pois há muita gente que ainda não percebeu que EXISTEM PRESERVATIVOS, PILULAS, LAQUEAÇÃO DE TROMPAS E DE CANAIS DEFERENTES. Por mim abortem-se aí todos. Eu não comento certas e determinadas situções desde que o conde da ericeira se atirou do campanário da igreja da sua propriedade em 1690. Porque simplesmente n vale a pena.....

Prefiro regozijar-me na forma como o meu papá rommel (durante a 1º G.G.) "PAPOU" uma fábrica francesa guardada por 200 homens, dispondo apenas de um pelotão de caçadores alpinos. ui Ou então a forma como o general patton e os seus tanques "RABENTARAM" "CAS" linhas alemãs nas ardenas, salvando uma divisão aerotranportada americana. Ou a tareia que o almirante nelson deu aos franceses e "BELGAS" na batalha de trafalgar utilizando a formação perpendicular (no entanto este exemplo de nelson não é o melhor, porque o gajo morreu com uma bala de canhão nos cornos antes da batalha terminar).

Em jeito de conclusão:

"The art of war is simple enough. Find out where your enemy is. Get at him as soon as you can. Strike him as hard as you can, and keep moving on."

Ulysses S. Grant (1822 - 1885)

Tenho dito - "ROMA VICTOR"

Blogger Nero said...
Bravo!

Blogger Gladius said...
Obrigadinho Nero!

Anonymous Anónimo said...
sim a despenalização ! nem se percebe como é que este tema ainda vai a referendo mas o imortante é que o sim passe ! Depois, analisaremos a capacidade dos nossos caros governantes de por a maquina a funcionar afim de evitar o aborto. mas isso já são outros quinhentos paus...